bem-vindo à minha visão do mundo

26 e 27 de julho de 2019

Serra do Ibitipoca Hotel de Lazer

Conceição de Ibitpoca, Lima Duarte, MG, Brasil.

Patrocinadores:


Márcio Hallack & Victor Biglione

Minas Gerais Rio de Janeiro


26 de julho, sexta ✦ 21:00 hs

Fabiano De Castro São Paulo

convida Greta Bro Boston

27 de julho, sábado ✦ 21:00 hs

Manu Le Prince Quarteto Paris

Dudu Lima Trio um dos mais respeitados grupos instrumentais em atividade no país, composto por Dudu Lima (contrabaixos, arranjos e direção musical), Ricardo Itaborahy (teclados e vocais) e Leandro Scio (bateria e percussão), após gravar em Ibitipoca o DVD "Dudu Lima Trio – Som de Minas ao vivo"  recebe ao palco do Ibitipoca Jazz Festival em 2019, o percussionista e baterista carioca, Robertinho Silva.


Robertinho Silva aprendeu a tocar por conta própria, e aos 15 anos já trabalhava profissionalmente em bailes. Em 1969 conheceu Milton Nascimento, com quem tocou por 25 anos. Robertinho fez outros trabalhos, como sua participação na Banda Impacto 8, lideradara pelo trombonista Raul de Souza.

Em sua 20ª edição, o Ibitipoca Jazz Festival tem o orgulho de ter apresentado mais de  80 shows ao longo destes anos. Nomes importantes do jazz brasileiro e de outros paises já estiveram no palco do Ibitipoca Jazz Festival.




 

INFORMAÇÕES E COMO CHEGAR LÁ/ INFO AND DIRECTIONS.


Local do evento: Serra do Ibitipoca Hotel de Lazer - Conceição do Ibitipoca - MG.


Para ingressos e informações sobre o Festival:

Entrar em contato com Hérmanes Abreu ou Dirci Mello (32) 3214-7389 (segunda a sexta, 9:00- 12:00Hs e 14:00- 18:00Hs).

contato@ibitipocajazzfest.com.br


Teatro & Cia:

Av. Barão do Rio Branco 2985/ 1503.

Centro, Juiz de Fora, MG, Brasil.

CEP: 36.010-012

Tel.: +55 (32) 3214-7389

contato@ibitipocajazzfest.com.br


Diretora executiva: Dirci Mello

Diretor musical: Hérmanes Abreu



Para reservas de hospedagem:

Entrar em contato com a Interprice (32) 3216-1566 com Joana ou interpricetur@gmail.com



Como chegar:

Distâncias das principais cidades (km)

  1. 1Juiz de Fora: 75

  2. 2Belo Horizonte: 240

  3. 3Rio de Janeiro: 290

  4. 4São Paulo: 605

  5. 5Brasília: 955

  6. 6Vitória: 605

Rodovia de acesso

  1. 1BR-040

  2. 2MG-267

Roteiro

  1. 1De SP: pela Dutra, em direção ao RJ. Entrar em Cachoeira Paulista, passar por Passa Quatro – Pouso Alto – Caxambu e pegar a rodovia MG-267 até Lima Duarte.

  2. 2Do RJ. Pela BR-040. Depois de Juiz de Fora, entrar no trevo de Caxambu (MG-267).

  3. 3De BH: pela BR-040, seguir até Ewbank da Câmara e entrar no trevo para Caxambu (MG-267).

  4. 4De Lima Duarte: a partir daí, a estrada estará sinalizada. São 27 km de estrada de terra até Conceição de Ibitipoca.

Importante:

Se precisar, abasteça o veículo em Lima Duarte, pois em Conceição não tem posto.

Existem ônibus regulares de Juiz de Fora a Lima Duarte.






 
 

Ingressos +55(32)3214-7389

Ingressos +55(32)3214-7389

Ingressos +55(32)3214-7389

Apoios:

https://tribunademinas.com.br

Robertinho Silva é um baterista e percussionista brasileiro, considerado um dos definidores da linguagem brasileira para a bateria, ao lado de nomes como Airto Moreira, Edison Machado, Nenê, Zé Eduardo Nazário, Dom Um Romão e Paulo Braga.

Cantora sem fronteiras, Manu Le Prince soube se impor, como uma das mais bonitas vozes do Latin Jazz na Europa. Cantora francesa nascida em Paris, compositora que com seu timbre quente e sensual, sempre soube dar uma nova interpretação aos standars de jazz, e as canções MPB. 
Brasileira de coração e descendente de sul americanos e ingleses, dividida à mais de vinte anos entre a França e o Brasil, misturando intimamente sua influência do Jazz, estilo que conhece desde criança, com a Bossa Nova, MPB e ritmos étnicos , Manu prolonga assim seu percurso alto e colorido que vai desde o célebre grupo de jazz francés "Magma" a sua colaboração com Rosinha de Valença, o trombonista Raul de Souza, ou o multi instrumentista Hermeto Pascoal.

O cronista e poeta Luiz Fernando Veríssimo citou a cantora recentemente nos "altos" da sua coluna do Jornal O Globo. Depois de duas homenagens, "Tribute to Cole Porter" e "BossaJazz For Ever" em homenagem ao grande compositor Johnny Alf (autografado pelo grande Roberto Menescal), Manu volta a um trabalho autoral como no seu album Madrugada, no qual ela tem parceria com Hermeto, Filó Machado e Robertinho Silva.

Músico desde os 11 anos, o talentoso pianista mineiro Fabiano de Castro mudou-se para NY em 2000, onde estudou no Harbor Conservatory e participou de workshops na School for Improvisational Music com Ravi Coltrane, Steve Colleman, Uri Caine e Ralph Alessis. Em SP desde 2002, tocou ao lado de Renato Teixeira, Nenê, Cleber Almeida, Vitor Alcântara, Nahor Gomes,Ron Ormsby, Karin Hammar, entre outros.

Com foco nas suas próprias composições Greta Bro começou estudar música indú na Indian Music Academy in Waltham, Massachusetts, incorporando este estilo em suas letras.

Greta chama o seu atual trabalho de “Greta Bro Group, onde mostra o poder de transformação da música através do coração e da alma.

Ela se inspira explorando estilos como jazz, bossa nova, latina, música indú, reggae e pop, levando em cada show a paz e harmonia entre os povos. 

Pianista, compositor e arranjador, Márcio Hallack é atualmente um dos grandes nomes da música instrumental brasileira, representando Minas Gerais, dentro do contexto nacional. Premiado em primeiro lugar pelo Conservatório Brasileiro de Música em Barbacena .

Vencedor do II e VII Prêmios BDMG-Instrumental em 2002 e 2007, teve seu terceiro cd “De Manhã”,  indicado ao Premio Tim, com excelentes críticas da imprensa especializada.

Já se apresentou em shows e gravações ao lado de grandes nomes da música brasileira e internacional, como Hermeto Pascoal, Toninho Horta, Gilson Peranzzetta, Mauro Senise, Nivaldo Ornellas, Jacques Morelembaum, Hélio Delmiro, Juarez Moreira, Robertinho Silva, Marcos Suzano, Victor Biglione, Raul de Souza, Marcio Bahia, Novelli, Nelson Angelo, Nico Assumpção, Paulo Russo, Eneias Xavier, Luis Alves, Ney Conceição, Victor Bertrami, Esdras Ferreira (Neném), Mauro Rodrigues, Itiberê Zwarg, Otávio Castro, Galo Preto, David Chew, Jean Pierre Zanella (Canadá), Kip Reed e Matt Perko - com os quais gravou em Cleveland (USA), no Cd O Tempo e o Lugar. Fernanda Cunha, Santiago (Chile) no Thelonius Jazz em julho 2011 ao lado de jazzistas chilenos e da  Nova  Zelândia.

Em cinema compôs duas músicas para a trilha sonora do filme “Janela do Caos” de José Sette, sobre a vida do poeta Murilo Mendes. Atuou como pianista e arranjador no filme “O rei do samba” de José Sette sobre a música de Geraldo Pereira.ommk.

Victor Biglione consagrou-se no Brasil e no estrangeiro como um dos maiores guitarristas e violonistas da atualidade. O músico foi o único brasileiro a participar no New York Guitar Festival em 2002 nos EUA, onde também foi consolidar sua prestigiosa parceria com o ex-Police Andy Summers, gravando o segundo CD do duo, Brazil Splendid, em Los Angeles. Biglione e Summers já haviam lançado, em 1998, o CD String of Desire pela BMG Internacional. Outro importante momento da sua carreira - seu CD gravado há mais de 10 anos e ainda inédito com a inesquecível Cássia Eller, Victor Biglione e Cássia Eller in Blues: If Six was Nine – um trabalho de Blues, Rock e Jazz. O músico já negocia com a Universal o lançamento para esse ano do CD. Participou nos últimos dez anos do Free Jazz por cinco vezes, o Festival de Montreal por quatro vezes, o New York Guitar Festival, entre outros. Compôs ainda várias bandas sonoras para cinema, TV e teatro, entre elas para a minissérie A Justiceira, de 1997 de Daniel Filho e para os filmes Como Nascem os Anjos, de Murillo Salles, com o qual recebeu o Kikito de melhor banda sonora no Festival de Gramado e Faca de Dois Gumes, vencedora da melhor banda sonora no Rio Cine Internacional. Ganhou ainda o Grammy Latino pelo CD Crooner, gravado com Milton Nascimento. Biglione consagra-se também por ter sido o único brasileiro eleito pela Washburn, uma das maiores fabricantes de guitarras do mundo, para fazer parte do seu seleto grupo de melhores guitarristas do planeta. Com um estilo musicalmente eclético, misturando bossa nova, rock, jazz e blues, Victor já tocou com mais de 300 nomes da MPB e da música internacional. Lançou 16 CDs solos ou duos em diversos países e ainda, outros dois pela Cor do Som, banda que integrou de 1982 a 1984 contribuindo para a consagração do pop-rock brasileiro.

Com os seus projetos já participou do Provincetown Jazz Festival - USA; Mornington Hotel Live Jazz - Estocolmo; Vijazz e Blues -Viçosa - MG; Savassi Festival-BH; Rio das Ostras Jazz Festival - RJ; Ibitipoca Jazz Festival - MG; Ilha de Toque Toque Jazz Festival - SP; Shows no MAMM de Juiz de Fora - MG; Cultural Center of Cape Cod em Cape Cod-USA; Café com Letras em Belo Horizonte - MG; Santo Scenarium, no Rio de Janeiro, no projeto Instrumental Sesc Brasil), realizado no Sesc Consolação e também nas unidades do Sesc Carmo e São Carlos - SP.

Emmerson Nogueira, 18 anos de carreira, mais de 2 milhões de CDS e DVDS vendidos,  turnês com shows abarrotados em toda a América Latina e um projeto que se tornou fenômeno fonográfico, rendendo 12 álbuns de expressivo êxito comercial e de crítica – o Versão Acústica. Se os números não são suficientes para impressioná-lo, espere até ver um show.


Robertinho Silva & Dudu Lima Trio

participação de Emmerson Nogueira

Rio de Janeiro Minas Gerais